Bororó 25

Quem somos

UNIVERSO BORORÓ

"Curação é dar atenção amorosa a tudo o que nos habita!"

Nós somos a Bororó25

A bororó25

A Bororó25 - a arte de SE fazer feliz - é um coletivo de saúde dedicado à constante reflexão filosófica e psicanalítica do cotidiano.

É um coletivo que produz conhecimento voltado para a construção do autoconhecimento. Na Bororó25 trabalhamos com a promoção e a educação em saúde emocional, utilizando uma tecnologia própria: o Método Curação. O propósito da Tecnologia de Gestão das Emoções da Bororó25 é que cada pessoa desenvolva suas habilidades emocionais produzindo um viver saudável.



União de profissionais que fazem a diferença


Christiane Ganzo

Christiane Ganzo é visceral e sensível, revela que ser o que se é, em todas as dimensões, é o que nos faz humanos. E felizes. É coragem e ousadia. Coragem em sua escolha diária de se envolver profissionalmente com o ser humano e sua complexidade. Ousadia na convicção de que é urgente que as pessoas se alfabetizem emocionalmente. Gostar de gente e se envolver com cada um que a procura é uma característica marcante e seu propósito na Bororó25 e na vida. Psicóloga graduada pela UFRGS e pós-graduada em Clínica Psicanalítica, há mais de 25 anos, trabalha como psicanalista. Christiane Ganzo não se explica. É necessário ser vista, ser ouvida, ser sentida.

Denise Aerts

Denise Aerts é a conjunção de potência e obstinação. Potência na capacidade única de compreender a alma humana e na habilidade de criar conhecimento para que o sujeito aprenda a desenvolver o protagonismo em sua vida. Obstinação na força para conduzir seus propósitos com método, disciplina, rigor técnico e trabalho em equipe. Médica e psicoterapeuta, doutora em Clínica Médica pela UFRGS; há mais de 30 anos atua como pesquisadora em saúde coletiva nas temáticas felicidade e saúde do trabalhador. Intelectual atuante e atualizada, Denise Aerts acredita que o conhecimento no campo da saúde emocional é um imprescindível agente de transformação.

O Método Curação nasceu da observação do processo vivido por muitas pessoas e da sistematização do material trabalhado em encontros individuais e em grupos.

Tem como ponto de partida a filosofia e a psicanálise. É uma prática de autoanálise e de ação que traz a instrução de que a cura emocional se dá pela escolha e realização de ações curativas. O Método Curação é uma tecnologia de gestão das emoções composto por uma rede conceitual, uma estrutura e dinâmicas. Curação significa a arte de SE fazer feliz, a arte de bem cuidar-se. Contém duas fortes proposições: cura e ação.

Cura evoca cuidado, estando intrinsecamente associada à ação. Não existe ação fora do presente. O presente é o único tempo em que vivemos, em que cuidamos de nós. É no presente que agimos. A ação é sempre no agora. Ideias sem ação são potências amputadas, energias em estado latente.

Somos autores de nosso próprio viver. Porém, muitas vezes, não reconhecemos essa autoria e não nos responsabilizamos por nossas ações, deixando de desfrutar do único lugar que nos cabe: o centro de nossas vidas.

Meta

A meta do Método Curação é a construção da felicidade possível para cada sujeito. É a consciência de um se fazer feliz, com quem eu possa ser enquanto estiver sendo, a cada momento. O rigor da meta é a construção de uma felicidade incondicional, em oposição à felicidade idealizada.

Pauta

A pauta do Método Curação é o desejo consciente de se fazer feliz. O rigor da pauta é definido pela subordinação de vontades ao desejo maior: se fazer feliz, sem a utilização de atalhos. Utilizando suas verdades como alicerce, o sujeito será capaz de construir sua felicidade possível.

Objeto

Quem estamos sendo muda na presença de cada pessoa e de cada fato de nossas vidas. O objeto do Método Curação é quem a pessoa está sendo a cada momento. Isso não é percebido em sua totalidade, dada a regência da inconsciência sobre o viver.



A Equação da Felicidade Possível: uma das dinâmicas do Método Curação

A Equação da Felicidade Possível é uma das dinâmicas do Método Curação. É uma ferramenta prática, para uso cotidiano na construção de um viver saudável. A equação inicia com uma constante: O K - desejo consciente de SE fazer feliz. As outras etapas se referem a processos que variam o tempo todo: percepção(P), significação (S) e ação curativa (AC).

A variação corresponde ao fato de que, a cada momento, surgem novas percepções a serem significadas e que resultarão em ações curativas.

FP Felicidade Possível

FP = Felicidade Possível Felicidade Possível é saúde emocional. É Felicidade Possível a cada um de nós, e não a felicidade idealizada, da perfeição.

=
K Constante

K = Desejo de SE fazer feliz O “K” é a constante da equação: o desejo consciente de SE fazer feliz.

>
P Perceber

P = Percepção A percepção é a segunda etapa da Equação da Felicidade Possível. A atenção amorosa (AA) é a ferramenta da percepção consciente. Por meio dela, é possível reconhecer quem estamos sendo frente aos fatos de nossas vidas a cada momento.

>
S Significar

S = Significação A terceira etapa do trabalho emocional de Curação é a significação. A investigação amorosa (IA) é a ferramenta da significação, e se debruça sobre o que percebemos: as emoções e os sentimentos que emergem da inconsciência.

>
AC Agir

AC = Ação Curativa As ações curativas constituem a quarta e última etapa da Equação da Felicidade Possível, e têm, como ferramenta, o processo de escolha.




REDE CONCEITUAL

Conceitos de apoio ao aprendizado do Método Curação


Acolhimento x Submetimento
Acolher é uma atitude de composição com os fatos, proporciona uma ampliação da alma daquele que acolhe. Submissão, ao contrário, é uma atitude de encolhimento, uma posição de contrariedade frente aos fatos. Acolhimento é o princípio básico do Método Curação.

Responsabilidade x Culpa
A responsabilidade e a culpa têm sido utilizadas como sinônimos. Entretanto, para nosso rigor conceitual, são, na verdade, excludentes entre si. Vivemos em uma cultura que utiliza a culpa, em vez da responsabilidade, como base de seus princípios de educação e controle. Culpa é a primeira e mais forte criação de uma importância totalmente indevida que o sujeito inventa para si. Responsabilidade é tomar para si as escolhas e as ações para um viver saudável.

Fato x Trauma
O fato se refere ao reconhecimento da ocorrência de um evento, que poderá ser físico ou psíquico. Ele não traz em si um juízo de valor, não é bom nem ruim. Os fatos estão inscritos em um período de tempo, têm início e fim. O que fazemos a partir do fato são interpretações sobre eles. Essas interpretações adquirem um colorido, de acordo aos valores de quem as significa. Algumas vezes, vivenciamos certos fatos com muita contrariedade e, por não acolhê-los, nós os transformamos em traumas. O trauma é uma construção emocional sobre o fato, significando-o de forma negativa. Nossa energia fica consumida no reviver da situação e na busca de outro desfecho que jamais acontecerá, pois o passado não se modifica. Porém, é possível modificarmos nossas interpretações sobre fatos passados. Exatamente por isso, somente desconstruímos um trauma quando o acolhemos como um exigente e triste fato.

Dor x Sofrimento
A dor é inerente ao viver, enquanto que o sofrimento é opcional, já dizia Drummond. A dor, tanto física quanto emocional, é uma percepção que informa que algo ocorre na direção oposta do que gostaríamos. Tem início e tem fim. Já o sofrimento é uma construção emocional que marca de forma exacerbada essa contrariedade. Sofrimento é tudo o que reverbera e amplia a sensação de contrariedade aos fatos e à realidade como ela se apresenta. Do acolhimento da dor, surge a tristeza, e da contrariedade a ela, o sofrimento.

Desejar x Esperar
O desejo é a expressão de vontades conscientes ou inconscientes que dependem da pessoa. Desejar demanda uma atitude ativa, na direção de agir para realizar seus desejos. Esperar, de “esperança”, remete a uma atitude passiva, uma espera de que algo aconteça, independente de sua ação. Esperar é sinônimo de expectativa. Ao esperarmos, nos desresponsabilizamos de nosso próprio cuidado.

Potência x Poder
A potência do sujeito é a sua força de expansão, sua confiança na própria capacidade de bem cuidar-se. Também chamamos de potência criativa. A potência pressupõe colaboração, cooperação, uma “potencialização” de capacidades. Todos somos potentes e portadores de diferentes potências. Diferente dela, o poder se relaciona a um delírio de controle. É uma força de contração e opressão. O poder é uma ilusão, já que não somos poderosos e, sim, podemos ocupar um lugar de poder. O poder pressupõe submissão e superioridade. A potência expande, o poder adoece.

Sentimento x emoção
A emoção é uma experiência afetiva que tem expressão no corpo, correspondendo a reações motoras e metabólicas involuntárias. Os corpos manifestam, automaticamente, emoções sem a mediação da consciência. Em geral, as emoções se apresentam com padrões de expressão corporal características. Em função disso, podemos perceber quando alguém está alegre, com medo ou com raiva. O sentimento é o modo como a pessoa significa suas emoções; é subjetivo, da ordem do privado. É o resultado do processo consciente ou inconsciente de significação. Em função disso, a construção do sentimento consciente de felicidade requer contato do sujeito com sua alma e constante trabalho emocional.

Ações curativas X Ações impulsivas
As ações curativas são aquelas realizadas dentro do espaço de governabilidade de cada sujeito. São mediadas pelas forças ativas, constituindo-se em ações saudáveis. As ações impulsivas são frutos de descarga, e muitas vezes estão associadas à intenção da pessoa em evadir-se de sua ansiedade. São mediadas pelas forças reativas e representam uma tentativa do sujeito de controlar o incontrolável.

Si próprio x si mesmo
O si-próprio vive no presente, sem aprisionar-se a fatos ou sentimentos passados, sem traumas, sem ressentimentos. Existe um predomínio das forças ativas. Sua pauta é a ética consigo, com os valores próprios e atuais em sua vida e não com a moral, que expressa valores coletivos externos, muitas vezes sem qualquer correspondência com seu presente. O si-próprio acolhe os fatos e se acolhe frente aos fatos, investigando seus afetos e escolhendo ações curativas a cada instante. O si-mesmo vive embebido em críticas e culpas e aprisionado a um código de valores coletivo; do idealizado, carregados de juízos morais, de “certos e errados”, do bem e do mal. Correspondem, muitas vezes, aos valores familiares e sociais, mas não aos valores atuais do sujeito, impedindo sua multiplicidade, seu eu-caleidoscópio. As forças reativas são hegemônicas, tentando controlar o incontrolável. Busca agradar aos outros ou se apresentar como idealiza que deveria ser, mantendo-se em uma única versão, na tentativa de se sentir seguro e aceito, pois acredita que, assim, poderá poupar-se da dor do viver.




A Bororó25 acredita que é possível SE fazer feliz.


Acredita que se fazer feliz é uma arte, aprendida em uma prática que exige muita disciplina, coragem e vigor.

A Bororó25 acredita na construção de uma arte-técnica própria a cada Sujeito e defende que o bem viver é construído no tecido coletivo das semelhanças e dessemelhanças de cada um.

A Bororó25, depois de somar muitas e muitas horas, ouvindo, observando e conversando com pessoas - participando da composição da ópera da vida de cada um de nós – desenvolveu, descortinou uma estrutura e uma dinâmica para o funcionamento de nossas almas, sistematizando-as em dez grandes movimentos: o Método Curação.

A Bororó25 acredita que o Método Curação: essa arte-técnica de bem-viver, é uma prática de guerrilha. Uma guerrilha muito particular: a guerrilha da saúde. Da construção da saúde emocional.

A Bororó25 é um coletivo um tanto singular. Vivemos com a máxima atenção amorosa a fim de produzirmos, cada um de nós, nosso próprio sentido existencial de acordo ao código de valores de cada um.

A Bororó25 recomenda que os bororoenses pratiquem menorinhos curativos em pequenas e triviais ações cotidianas de autocuidado. E quanto menores eles forem, melhor! As partículas leves de consciência cuidadosa e saudável são contrabandeadas para a inconsciência sem maiores alardes.

A Bororó25 afirma que somos todos inaugurais e caleidoscópicos.

Somos todos repletos de ideias, de energia e de criatividade. Somos todos capazes de invenções!

Temos todos – cada um de nós – habilidade, capacidade e potência de criar. Cabe-nos descobrir quem somos e do que somos capazes: em cada ato. Cabe a nós nos autorizarmos e nos reconhecermos como artistas de nossa própria vida.

Viver bem é uma arte. A arte de SE fazer feliz.

A Bororó25 é um coletivo de saúde que reconhece que o funcionamento humano é regido por forças do corpo, da mente e da alma, indissociáveis e primordialmente inconscientes. No caleidoscópio Bororó25 reúnem-se pessoas das mais diversas áreas do conhecimento e do fazer: psico-análise, psicoterapia, medicina, psicopedagogia, sociologia, assistência social, fisioterapia, medicina ayurveda, odontologia, arquitetura, enfermagem, engenharia, geografia, música, letras, publicidade, direito, administração, cinema, fotografia, artes plásticas. Pessoas das mais diferentes vivências, e todos acreditando na possibilidade de nos fazermos felizes - e com esse propósito - produzirmos associações.

Alguns de nós trabalham no organismo concreto e material situado à rua Bororó, nº 25, outros muitos, na rede bororoense imaterial, mas não menos real. Virtualmente ou presencialmente produzimos encontros. Amplia-se cada vez mais nosso coletivo. A palavra escrita da Bororó25 – livros, e-books, blog – avança sorrateira por entre os muros. Contrabandeada de mão em mão, sussurrada entre bocas e ouvidos, leva o que temos de mais sagrado: conceitos-ferramentas esculpidos com um olhar poético sobre o viver.

Nos reconhecemos como um organismo rizomático¹, voltado à construção da felicidade possível. O rizoma Bororó25 é o testemunho da força do encontro, onde um mais um somos onze! Ser rizomático é existir em potência de devir e de expansão em todas as direções. Produzir encontros frutíferos amplia a potência de nossas almas.

Os bororoenses acreditam que é possível SE fazer feliz. E que SE fazer feliz é em ato uma arte, aprendida em uma prática que exige muita dedicação, coragem e vigor. A construção de cada bem viver é tecida no coletivo das semelhanças e dessemelhanças de cada um consigo próprio e com os outros.

Faça parte deste coletivo!


¹Rizoma é uma planta com raízes subterrâneas que se espalham em todas as direções.



Vicente
Vicente
Simone
Simone
Rosana
Rosana
Richard
Richard
Paula
Paula
Patrícia
Patrícia
Pablo
Pablo
Nadir
Nadir
Melissa
Melissa
Melina
Melina
Marla
Marla
Márcia
Márcia
Marcia
Marcia
Luciana
Luciana
Lisiane
Lisiane
Lidia
Lidia
Karla
Karla
Juliana
Juliana
Ivaneri
Ivaneri
Hadas
Hadas
Giovanni
Giovanni
Gabriela
Gabriela
Gabi
Gabi
Frederico
Frederico
Fedrizzi
Fedrizzi
Elisa
Elisa
Suzy
Suzy
Renata
Renata
Paola
Paola
Laura
Laura
Camila
Camila
Alana
Alana
Rita
Rita
Eduardo
Eduardo
Christiane
Christiane
Denise
Denise
Denise
Denise
Cristiane
Cristiane
Cintia
Cintia
Christiane
Christiane
Christian
Christian
Carmem
Carmem
Camile
Camile
Alexandre
Alexandre
Alexandre
Alexandre
Vanessa
Vanessa
Rogério
Rogério
Paola
Paola
Maurício
Maurício
Marina
Marina
Márcia
Márcia
Mara
Mara
Luisa
Luisa
Lincoln
Lincoln
Laura
Laura
Karen
Karen
Guilherme
Guilherme
Giordano
Giordano
Gabriel
Gabriel
Durga
Durga
Daniel
Daniel
Carolina
Carolina
Ana Clara
Ana Clara

Equipe



Lisiane Ulguim

Lisiane, um lindo design de experiência de boas vindas na Bororó25. Bibliotecária de formação, tem na alma o propósito de Curação – a arte de bem cuidar-se. Recebe com amor e ouve com genuíno interesse. Pensa, cria, escreve, publica, imprime, faz o café: tudo com dedicação comovente! Lisiane é uma demonstração reveladora do quanto nos tornamos si-próprios a cada trecho de nossas vidas.



Parceiros


Gabriela Brum

Gabriela Brum é fisioterapeuta, com formação em cadeias musculares e intensa vivência em Ayurveda. Seus conhecimentos deslizam tão profundamente quanto suas mãos. O cenário de seu trabalho é caleidoscópico. Vai desde sessões de fisioterapia, até aulas deYoga, passando por massagens relaxantes e reveladoras de nossas almas, regando sua prática de atenção amorosa com óleos medicinais e aromas terapêuticos.



Gehysa Guimaraes Alves

Gehysa é parceira de longa data, dessas que a gente atravessa um deserto, pois confiamos em sua companhia. Dotada de rara obstinação, tem um olhar especial sobre o encontro entre os processos de aprendizagem e o Método CurAção. É graduada em Ciências Sociais, mestre e doutora em Educação pela PUC-RS, e tem formação em Tecnologia de Gestão das Emoções, pela Bororó25. Coordena o Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde da Ulbra-Canoas.



Maribel Melos

Nutricionista Funcional. Graduada pelo IPA- RS, Especialista em Nutrição Clínica – ASBRAN, Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional – VP Consultoria, Pós Graduada em Fitoterapia Clinica – CKS, Membro do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional, Atendimento clínico em consultório desde 1993.



Carina Sehn

Carina Sehn é uma criatura artista humana educadora em processo de reinvenção e de transgressão que vive a vida em conexão com a arte, com a saúde mental e com a educação. O seu maior desejo é poder tornar o corpo sutil às suas próprias percepções a partir da arte e da educação, desperta a atenção das pessoas em relação ao seu próprio corpo, à sua presença e ao seu modo de existir a partir da experiência corporal como lugar de existencial físico, estético, energético e etérico.  

Possui graduação em artes cênicas pela UFRGS, Especialização em Saúde Mental Coletiva pelo EducaSaúde/UFRGS e Mestrado em Educação pela FACED/UFRGS na linha Filosofias da Diferença, com a pesquisa: Um corpo performático para romper com a representação. Atualmente Carina é artista de performance, tendo já realizado exposições coletivas e individuais, ministra aulas sobre” o corpo como obra de arte”, presta consultorias sutis à coachings e profissionais da saúde, realiza o workshop Sutiliza[ação], o qual é oferecido a pequenos grupos e abertos a toda a comunidade. É uma profissional parceira da Bororó 25, onde presta atendimentos sutis e workshops de Sutiliza[ação], é curadora da galeria de arte Bororó 25.



Durga Curtinaz

Advogada, mediadora, biopsicóloga, facilitadora de grupos e da jornada da abundância e da prosperidade. Durga é o pseudônimo de Marilane de Lima Curtinaz. Ela já fez de tudo um pouco. Nascida no interior do RS, filha de agricultores, aos 14 anos iniciou sua jornada em Porto Alegre, na capital, com uma importante missão: formar-se em Direito. Seu propósito de vida é auxiliar as pessoas a resolverem seus conflitos e realizarem seus sonhos.  Nesta trajetória, vem desfrutando da abundância e da prosperidade de uma forma fluída e tranquila. De personalidade vibrante, gosta de conexões genuínas, cheias de amor, transparência e verdade. E, nesse fluxo, está desenvolvendo um trabalho de realização de workshops, retiros, atendimentos individuais e em grupos para que, juntos, possamos acessar essa energia da Abundância e da Prosperidade, por meio da consciência desperta para um novo olhar em relação à vida.



Isabel Silveira

Inspirada por viagens, pessoas, comunicação, comportamentos e diversidade cultural. Empreendedora, Coach/IAC, Coach Ontológico, Formação em Mapeamento Eneagrama (imagem, comportamento, atitude) e facilitadora. Sua primeira formação é Bacharel em Turismo-PUC/RS (Planejamento Territorial e Urbano, Movimentos Sociais, Culturais e Geográficos). MBA-FGV em Gestão Empresarial Visão Estratégica, com ênfase em Desenvolvimento de Habilidades Pessoais, Comunicação, Planejamento e Liderança. São 40 anos de praia, cursos, formações, experiência com equipes, amigos, família e muitas histórias para contar.